Maurício Adinolfi Mini Bio



Adinolfi é artista plástico com formação em Filosofia. Instinto, pulsão, civilização e animalidade são palavras atribuídas aos seus trabalhos que abarcam a relação entre homem e natureza. Estudou com Dudi Maia Rosa, Rodrigo Naves e Agnaldo Farias.

Desenvolveu em 2013 o trabalho Couper Bleu em La Ciotat, França e a Intervenção “BarcoR - estética tocantina” uma Performance de pintura naval em Marabá/PA. Participou da Art Lima - Feira Internacional de Arte de Lima, Perú e da SP-Arte com a Galeria Pilar.

Em 2012 participou da exposição "Passato Immediato – presença italiana na arte brasileira" no Memorial da América Latina, "Wild Colors" no Morodokmay Theatre na Tailândia e desenvolveu o Projeto “Sobre Ser Animal" pela Secretaria da Cultura do Estado de SP, projeto desenvolvido à partir de uma residência no Zoológico de São Paulo. Em 2011 realizou a mostra “Músculo Involuntário” na Galeria Pilar e participou da exposição "Próximo Olhar" na Cavalera Art Projects. Em 2013, 2010 e 2009, desenvolveu um projeto de Arte Pública chamado “Cores no Dique” em Santos – SP, trabalhando uma intervenção pictórica em 53 casas da maior favela de palafitas da América Latina, com o apoio da Funarte e conquistando o Prêmio Interações Estéticas pelo Ministério da Cultura do Brasil nesses três anos, Também realizou o projeto “Sobre Mar, Madeira e Outros Animais” uma instalação urbana construida com uma tonelada de madeira na estrutura no edifício Copan, 2010 (prêmio Proac - Secretaria de Estado da Cultura), em São Paulo.

Participou da Teia Nacional 2010 em Fortaleza e do 61° Salão de Abril. Em 2009, foi selecionado para a bolsa Iberê Camargo, com destaque no site da Fundação. Em 2008 participou do 15º Salão da Bahia, 14° Salão de Pequenos Formatos Unama em Belém/PA e do 36° Salão Luis Sacilotto em Santo André/SP; em 2007, foi Bolsista e Residente no Projeto Atelier Amarelo desenvolvendo a instalação “Toca - Racional e Instintivo”. Em 2005, foi premiado no 37° Salão de Arte Contemporânea de Piracicaba.